Tito Mouraz  |  Março 2015

1/9

Bio

Tito Mouraz, 1977, Portugal. Finalizou o curso de Artes Visuais e Fotografia na Escola Superior Artística do Porto em 2010, sendo esta a cidade onde vive e trabalha actualmente.


Expõe regularmente desde 2009 em Portugal e no estrangeiro, sendo de destacar as exposições no Módulo Centro Difusor de Arte, Lisboa (Portugal); Format Festival International de Fotografia, Derby (UK); Blanca Berlin Galeria, Madrid (Espanha); Tampere Art Museum (Finlândia); Museu da Imagen, Braga (Portugal); Fotofestiwal Lodz (Polónia); Festival Circulation(s), Paris (França); Carpe Diem Srte e Pesquisa (Lisboa); Galerie Voies Off, Arles (França) e Encontros da Imagem, Braga (Portugal).


Em 2013 foi vencedor do prémio Prémio Internacional de Fotografia Emergentes DST e da Leitura de Portfólios Carpe Diem Arte e Pesquisa. Em Portugal é representado pelo Módulo – Centro Difusor de Arte, Lisboa e em França pela galeria Voies Off, Arles. Presente em algumas colecções particulares, fazendo também parte da coleção do BES Art.

 

Projecto

A paisagem açoriana tem sido alvo do meu interesse enquanto fotógrafo desde 2015. Nesse ano, aquando do convite por parte do Pico do Refúgio e do festival Tremor, desenvolvi um conjunto de imagens que materializam um processo de relação e aproximação ao lugar, partindo de uma compreensão da sua geografia física, humana e afectiva.

 

Pretendeu-se construir um universo de enquadramentos sobre a materialidade, os lugares de fronteira, o isolamento, o marítimo, o património esquecido, as relações de luz e forma, oferecendo desvios da visualidade quotidiana, normativa e estereotipada da realidade açoriana. Esta visão, inaugurada nesse projecto, tem sido alvo de aprofundamento e demora na atenção aos micro acontecimentos, às insignificâncias, ao imperceptível mas fundamental na compreensão e construção identitária da ilha, sendo assim um projeto em continuidade.”

© 2019 Pico do Refugio