Márcio Vilela  |  Agosto 2015

Bio

Francisco Janes (PT, 1981) é um realizador e artista Português cujo trabalho cresce em torno do som, dedicado a um conhecimento da experiência. Cresceu e trabalhou em Lisboa, estudou filologia na FLUL e fotografia no Ar.co entre 2003 e 2007. Foi Bolseiro Ernesto de Sousa em Nova Iorque em 2008 e em 2012 obteve em Los Angeles o MFA em filme na CalArts, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian. Nos últimos cinco anos trabalha a partir de Vilnius, onde tem família.

 

Projecto

Continuação de uma investigação fílmica e sonora na ilha de S.Miguel.

 

Durante a residência produzem-se diariamente registos sonoros e visuais: documentos de intensidades e dinâmicas que sustêm lugares, os intervalos entre eles, e uma atmosfera de vestígios do isolamento e das suas potências, reflexos de uma expressividade própria do território. 

No período de produção trabalha-se uma forma de cumplicidade com a contingência desses materiais, os registos reais, mas também os virtuais - memórias , ligações. Entre eles espraia-se um arquipélago de imagens-avistamento, visões e experiências que se sucedem, acumulam e coexistem. Percorre-se a orla de um fechamento próprio no interior do qual diversas possibilidades se agitam 'de seu próprio acordo'.  Minúsculas existências surgem na atenção e sobrepõem-se, e a elas uma vibração geral - a possibilidade de que nada aconteça. Nas montagens dos filmes os fragmentos visíveis e o som reconstituem uma experiência inextricável da ilha. Esta é uma reflexão motivada pela experiência dos Açores, uma série aberta de filmes curtos que ligam acasos dos dias. Reagem a ciclos e circuitos de afetos, movimentações por uma espécie de geografia de encontros, que ora espreita caminhadas em vertigem, ora visita paisagens sustidas no tempo. Escutando, ouve-se o tremor e ouvem-se os ritmos, mas também o frémito quente e veloz do vento pela janela de um carro.

© 2019 Pico do Refugio